Tag: relacionamentos

07abr
Da fofura à gastura - Paulo Rebêlo

Da fofura à gastura

Quando escuto minhas amigas em dúvida se ainda gostam da outra pessoa, eu já sei a resposta, elas também já sabem a resposta, mas a gente senta para beber e concluir o óbvio mesmo assim. O único que nunca sabe de nada é o dito cujo, pois a gente tem essa tendência delirante de achar que as mulheres estão sempre contentes do nosso lado.
06fev
A gente ama quem a gente é - Paulo Rebêlo

A gente ama quem a gente é ou a gente ama quem a gente queria ser?

Nossas diferenças pareciam gritantes, mas o universo ficava mudo diante de um abraço. Súdito do silêncio que sou, aprendi a admirar a suficiência de abraços assim. Infelizmente para mim, e felizmente para os homens que vieram antes e os homens que virão depois, essa suficiência sempre parece muito pouco para muitas pessoas.
25ago
Respostas invisíveis para perguntas audíveis - Paulo Rebêlo

Respostas invisíveis para perguntas audíveis

Gosto mais de responder do que de perguntar. Porque perguntar exige um desprendimento que não tenho. Uma pergunta costuma exigir uma resposta, enquanto a resposta não exige nada. Nem mesmo que você acredite nela. A resposta se encerra.
26abr
Xícara de afeto

Uma xícara de afeto

Revirei a casa inteira. Abri as caixas de papelão. Empurrei o sofá. Abri as mochilas. Olhei dentro do armário de roupa. Ela tinha levado até a xicrinha. Quando até as formalidades se dissipam, que esperança ainda pode restar para o afeto de uma xícara?
30jul
Quando o espaguete gruda na parede

Quando o espaguete gruda na parede

Ela perguntou se eu sabia que levava apenas oito segundos para uma pessoa concluir se vai gostar da outra. Essa frustração cronometrada sempre me lembrou uma lenda urbana, bem popular nos anos 80, sobre como se deve cozinhar o verdadeiro spaghetti italiano: para saber se o ponto do espaguete está bom durante o preparo, jogue-o na parede. Se grudar, é porque está no ponto certo.