O futuro de ontem

Lembro de madrugadas insones quando pensava: o que eu faria se ela batesse à porta agora, às três horas da manhã? Pura retórica. O que consome a gente não é saber o que vamos fazer na hora, pois isso a gente sabe melhor do que ninguém. É saber o que vamos fazer depois.

texto completo

O amaciador

Paulo Rebêlo 22.jan.2013 Portal NE10 link Quando elas aceitam o fim sem derrubar uma lágrima e vão embora sem olhar para trás, é porque nada mais há para ensinar. Quando todo o resto der errado, ela vai se lembrar desse dia e pensar que, afinal, pode sobreviver a tudo. Quando ela conhecer alguém apenas razoavelmente interessante, vai finalmente entender que somente ela é responsável pelo interesse do mundo. E talvez resolva conhecer melhor todas as pessoas que teve medo de conhecer. Quando ela entrar no carro de alguém, não vai se entediar com a demora. Já passou pela mesma estrada tantas vezes. Aprendeu a dormir e a acordar na curva certa. Quando viajar acompanhada, não importará mais o destino. Depois de tantas viagens, vai sobrar pouco para se surpreender de verdade. Ansiedade, mala, roupas, compras? Tudo no automático. Precisamente no automático. Esqueceu a escova de dentes? Ela tem uma reserva. Esqueceu o desodorante? O dela sempre está na mala. A moça que não sabia fritar um ovo vai querer criticar os livros da Ofélia. A menina que queria desbravar o mundo vai perceber que é o mundo que ainda precisa desbravá-la. Quando as amigas estiverem em crise, é o conselho

texto completo

Antes do casamento

Paulo Rebêlo 21.set.2010 Terra Magazine link A maior crueldade que uma mulher impõe a um homem é mostrar que não se recupera o que se deixou escapar. Marca o início de uma longa jornada de lembranças enviesadas e memórias chamuscadas sobre uma vida que poderia ter sido e não foi. Antigamente, a gente recebia o convite do casamento pelos Correios. Em geral, endereçado aos pais. Ficava sabendo pelos amigos em comum. Lia em letras miúdas no jornal. Com sorte, saberíamos anos depois. Com azar, o filho dela seria colega de classe da sua filha. Hoje, tem gente mais preocupada com o status no Facebook do que com a benção do padre e o carimbo do cartório. Em vez de saber anos depois, você descobre anos antes. Que ela já se foi. Que ela planeja ir embora. Que ela se vai. Que não pretende voltar. Os amigos em comum talvez nem existam mais. Tornaram-se desnecessários. Você a lê indo embora aos poucos. Até o dia em que ela se casa e você percebe que ela nunca se foi, você que ficou parado enquanto os anos passavam para ela. E sua única esperança recai em aderir às crendices tolas de vidas passadas ou

texto completo

Corações furtados

Paulo Rebêlo 11.junho.2010 Terra Magazine link Não é chato quando a gente conhece alguém interessante e não dá certo? Primeiro porque o mundo passa por um acelerado processo de extinção das pessoas razoavelmente interessantes. Tipo, gente que tenha um mínimo de conteúdo para você conversar algo que não seja o resultado do jogo de ontem, a novela de hoje ou as subcelebridades de amanhã. Segundo porque a maioria das pessoas solteiras sempre tropeça no mesmo pensamento: se demorou tanto para aparecer alguém interessante, quem garante que não irá levar outros duzentos anos até aparecer outra? São em momentos assim que a porca torce o rabo e a cobra fuma charuto. Dia dos namorados é quando vemos um monte de gente bonita sucumbindo ao desespero para namorar com o primeiro brucutu que se prontifique a pegar sua mão, levar para passear no shopping lotado, comer uma pizza no domingo à noite, conhecer sua mãe e elogiar aquele estrogonofe que você aprendeu a fazer dez anos atrás na Cozinha Maravilhosa da Ofélia. O padrão mínimo de exigência fica do tamanho de um piolho e você começa a chamar urubu de meu louro. É um roubo. Roubamos oportunidades bem melhores para nossas vidas por causa de

texto completo

A dívida feminina

Paulo Rebêlo 08.março.2010 Terra Magazine link Não sei a quem devo mais: às mulheres que um dia passaram pela minha vida ou ao Banco do Brasil. A diferença é que, um dia, talvez eu consiga quitar minha dívida com o banco. Com as mulheres, vamos morrer em débito. Com elas aprendemos a amar e a trair. E que às vezes amar é trair. E trair nem sempre é exatamente falta de amar. Mas, na vida de um bruto, o maior legado das mulheres é ensinar que amar também é deixar ir embora. Porque mais difícil do que ir embora do presente, é ir embora do seu futuro. E ninguém sabe fazer isso tão bem quanto elas. Somem como fumaça e montam uma nova vida como um passe de mágica. Enquanto o seu único abracadabra são noites insones a esperar que ela bata na porta de madrugada. Demora muito, às vezes uma vida inteira, até você aprender que não se trata somente de deixar ir embora. Trata-se, principalmente, de deixá-la ir embora e torcer para que ela tenha toda a felicidade que você sempre quis dar e não conseguiu. Não importa se por incompetência, inércia, conformismo ou pouca fé. Ela iria embora independente das causas. Até

texto completo

Gengis Khan é biografado em épico indicado ao Oscar

Paulo Rebêlo Pipoca Moderna | 29.julho.2009 Quem quiser sair um pouco do esquema circuitão não pode perder a oportunidade de conferir “O Guerreiro Gengis Khan” (Mongol, 2007), co-produção da Rússia, Alemanha, Mongólia e Cazaquistão, que finalmente estreia nos cinemas brasileiros, dois anos após seu lançamento internacional. O filme é um romance histórico sobre a vida de Gengis Khan, mostrando sua infância e um lado “humano” que contraria versões didáticas ocidentais, explorando o até então pouco conhecido contexto cultural e político da época, que o levou a conquistar mais da metade do território mundial em tão pouco tempo.

texto completo

Estranha nostalgia de Maurício de Nassau

Cinema // Documentário Doce Brasil Holandês questiona a saudade que os pernambucanos têm do invasor europeu Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco 25.março.2009 Passados quase 400 anos do domínio holandês, ainda ecoa entre historiadores e brasilianistas a teoria de que o Nordeste do Brasil poderia ter se desenvolvido bem mais sob a bandeira da Holanda em vez da regência de Portugal. Entre outros argumentos, expõe-se o tempo em solo pernambucano do Conde Maurício de Nassau, o príncipe holandês responsável pelo início de uma série de construções e reparos estruturais então restritos à Europa, a partir da ideia fixa em construir sua cidade ideal: Maurícia.

texto completo

Aposentadoria Bill Gates : o legado do Windows (todas as versões)

Paulo Rebêlo Universo Online | 27.junho.2008 link original link para galeria de imagens A primeiríssima versão do Windows é bem distante do que se passou a entender como “Windows” a partir dos anos 90. A proposta inicial da Microsoft ao lançar esta versão, em 1985, era apresentar apenas um intermediário gráfico para os aplicativos de DOS. Uma introdução ao que viria a ser o multitarefa, mas, na prática, apenas uma pobre interface gráfica para os aplicativos de modo-texto.

texto completo

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram