Paulo Rebêlo | junho.2000

Perto do lançamento comercial do Windows 2000, que substitui a plataforma NT, muito se falou sobre a sucessão do Windows 98, bem mais utilizado pelos usuários do que o Windows NT. Com o Windows 2000 no mercado, uma considerável parcela de consumidores ficou insulada. Trata-se de um sistema operacional voltado ao usuário corporativo, ao usuário mais avançado e, principalmente, ao usuário com computador mais veloz e muita memória RAM.


Os atuais computadores rodando Windows 95/98 podem não dar conta do Win2000 e é justamente essa lacuna que a Microsoft quer preencher com o próximo Windows, batizado de Millennium Edition, ou simplesmente Windows ME.

O WinME é o último sistema operacional da Microsoft baseado em arquitetura DOS (16-bit), diferentemente do que antes pregava a empresa. Assim como o Win98, ele mantém os mesmos objetivos primários – usuários domésticos, gamemaníacos, máquinas menos potentes, maior suporte a hardware. Em contrapartida, traz alguns novos recursos, poucos, mas interessantes.

Basicamente, a interface continua a mesma, apesar de mais parecida com o Win2000 do que com o Win98, por conta de detalhes em janelas e ícones. É fato: comparado ao seu antecessor, o WinME está mais estável e robusto, porém ainda longe de um Windows NT ou 2000. Até mesmo porque não é sua finalidade.

O caráter multimídia do sistema operacional foi bem trabalhado, visando bastante a reprodução de vídeos e jogos de última geração. Aplicações multimídia terão um ótimo benefício com o WinME, apesar dos desenvolvedores do nicho ainda terem a plataforma Macintosh como base. Dificilmente a Microsoft conseguirá conquistar o gosto dos profissionais da área.

O Windows Image Acquisition trabalha com transferências de imagens entre câmeras digitais, scanners, e outros periféricos. O Windows Movie Maker é uma ferramenta para para editar e compartilhar digitalmente vídeos caseiros. Bastante conhecido de público, o novo Windows Media Player 7 vem incluso no pacote, oferecendo uma solução única para reprodução de praticamente todos os formatos de áudio e vídeo.

Outro ponto interessante é o investimento em facilitar a vida do usuário leigo. Montar uma rede doméstica, por exemplo, agora ficou bem mais fácil com a ajuda dos wizards, traduzidos no português como “assistentes”.

Outra facilidade é o PC Health, inovação ainda não encontrada em outros sistemas operacionais da Microsoft. É feita sob medida para
aqueles usuários que adoram baixar programas na Internet, muitas vezes sem saber nem para que servem. Com o PC Health, é possível voltar no tempo: escolha uma data e suas configurações voltarão a ser do jeito que eram antes.

Quantas vezes o Windows não começou a ter problemas depois de um programinha mal desinstalado? A utilidade tem seu preço, pois um razoável espaço em disco é ocupado pelo PC Health a fim de garantir a “saúde” do computador.

Enfim, migrar ao WinME será particularmente interessante a quem não aprovou o Win2000, teve problemas relacionados a hardware ou não possui máquina suficiente, isto é, com pouca memória RAM ou processador lento.

Se tudo o que você precisa está concentrado no Win98 e funcionando bem, talvez nem seja o caso de migrar. Entretanto, o WinME se apresenta mais estável e menos problemático, característica que pesa na hora de pensar em abandonar o Win98. Evidentemente, também inclui todas as correções para as falhas de segurança encontradas no irmão mais novo.

Hoje, muitos usuários domésticos estão usando o Win2000 e aprovando, mas com aquela sensação de que há muito poder no sistema operacional para pouco uso em casa. Será o Windows Millennium o meio termo entre Win2000 e Win98? Certamente não. O meio termo já começou a ser desenvolvido pela Microsoft, e é assunto para conversas futuras.

A versão final do Windows Millennium já foi remetida aos desenvolvedores e fabricantes. Segundo a Microsoft, chegará às lojas americanas no dia 14 de setembro, sendo vendido pelo mesmo preço do Windows 98: US$ 209 (versão completa); US$ 109 (versão atualização). A versão em português deverá estar disponível no Brasil pouco tempo depois.

Detalhes técnicos:

O WinME ocupa entre 495MB e 635MB, a depender das opções e componentes, para discos em FAT16; entre 455 e 535MB para discos em FAT32. Ele pode ser instalado a partir da linha de comando (DOS), atualizado a partir do Windows 95 e 98, e instalado a partir do Windows NT se forem tomadas algumas medidas – consultar arquivo “setup.txt”.

Se você estiver atualizando o sistema operacional, é recomendável salvar os arquivos de sistema para uma eventual desinstalação do Windows ME. Se estiver fazendo uma instalação “limpa” (clean install), não haverá tal possibilidade.

Os requerimentos mínimos de sistema são os mesmos do Windows 98, com exceção do espaço em disco, que precisa ser maior. Nossa sugestão para obter o melhor em performance com o Windows Millennium é: pelo menos 64MB de RAM e processador de 300Mhz. Com 32MB de RAM, o computador não apresentará resultados muito diferentes do Windows 98 com a mesma quantidade de memória.