Invenções do novo milênio – II

Compartilhar

Paulo Rebêlo // dezembro.2000

PARA OS HOMENS – Todo mundo já viu propaganda na TV sobre aparelhos auditivos para surdos, aqueles cotocos grudados na orelha. Por que não ainda inventaram um aparelho auditivo para não-surdos, ou seja, para quem consegue ouvir muito bem? A razão social do aparelho seria outra, é claro. Sabe quando você sai com alguém do sexo oposto para jantar,
por exemplo, e a supra-citada passa a noite inteira fazendo seu ouvido de pinico? Ela começa a falar do momento em que coloca os pés no carro até a hora em que se despede e vai pra casa. Se brincar, ela não pára de falar nem na hora do papai e mamãe.


O revolucionário aparelho para homens haveria de ter uma operação simples, porém dotada de alta tecnologia. Primeiro, pequeníssimos cotocos seriam manualmente colocados no seu ouvido, por você mesmo. Se forem transparentes, ótimo. Pelo
contrário, você diz para ela que é recomendação médica contra labirintite.

Dentro do aparelho haverá uma nanocâmera interligada a um detector sensorial de movimento e um microreprodutor de tons
sonoros em linguagem binária – os famosos e imortais MIDI’s. Quando a cidadã começar a fazer seu ouvido de banheiro público, você ativa o aparelho e uma MIDI do Miles Davis ou John Coltrane começa a tocar e tudo o quê você precisa fazer é relaxar ao embalo do jazz.

A nanocâmera, atuando em conjunto com o sensor, acompanha o movimento labial da dita cuja de forma a emitir um som peculiar quando a bocarra parar de se movimentar. Na ocasião, quase sempre significa que ela está esperando uma resposta de você.

Dê um tempo ao Coltrane, olhe para ela, sorria e diga: “você está coberta da mais plena e absoluta razão. Continue, nosso papo
hoje está ótimo”. Ative novamente o aparelho e volte a escutar Coltrane, enquanto a matraca ambulante reinicia uma nova rodada de abobrinhas pseudofilosóficas e começa a contar a história até do papagaio que o primo de vigésimo grau criava em
casa.

As gerações posteriores do aparelho, com mais tecnologia, terão suporte para arquivos de música em MP3, o que proporcionará um melhor desempenho ao usuário. A ciência ainda não sabe como, mas há de inventar um mecanismo de operação similar mas que funcione também em ligações telefônicas, de forma a avisar o usuário quando a pessoa na outra linha terminou de falar e está esperando uma resposta.

As fabricantes ficariam ricas da noite para o dia, pois filas quilométricas seriam feitas nas lojas, independentemente do
preço. Seria um múltiplo benefício e todos seriam felizes para sempre. No próximo texto de nossa série de invenções para
2001, você conhecerá mais artefatos úteis, porém direcionados à gastronomia social.

Enquanto o aparelho auditivo não chega às lojas, faça feito eu: use algodão transparente nos ouvidos e fique meditando…