Xadrez na era digital

by

Paulo Rebêlo | 16.setembro.1998

O xadrez sempre fascinou pessoas de todo o mundo e, apesar de ser um jogo extremamente inteligente, estimulando o raciocínio lógico, noção de espaço, geometria e agilidade de pensamento, também está muito ligado à informática e Internet. Para isso, basta lembrar dos históricos duelos entre grandes mestres contra máquinas super potentes, que analisam milhões e milhões de jogadas por segundo. E o duelo mais conhecido, atualmente deve-se a Kasparov contra o “Deep Blue”, que todos já devem ter ouvido falar.

Além do desenvolvimento lógico e emocional, o xadrez também é muito usado como uma terapia, principalmente entre os japoneses, que o tem como integrante ao currículo escolar. A falta de jogadores por perto (ou pessoas que saibam jogar) levam muita gente a usufruir do passatempo por si só, jogando com os dois conjuntos de peças, brancas e pretas. Enquanto uns dizem que o ato de jogar sozinho pode melhorar seu nível técnico, outros acham que trata-se de uma “perda” de tempo, por ser impossível praticar uma boa partida dessa forma. O fato é que, jogar com alguém sempre é mais interessante, além de realmente melhorar sua técnica.

Os interessados já devem ter jogado ou ouvido falar do xadrez por correspondência, muito usado antes da revolução Internet e ainda hoje, apesar de muito discretamente. Os participantes jogavam entre si e organizavam campeonatos através de cartas comuns, onde cada partida chegava a demorar meses, algumas anos, tendo em vista que cada carta continha apenas um lance. Nos campeonatos, a demora podia aumentar ou diminuir, a depender da agilidade (e bom senso) de algum jogador, que poderia demorar um pouco mais na ida aos correios. Infelizmente, esse ‘método’ tão interessante possuia, como todos já devem imaginar, diversos defeitos. Entre eles a longa duração, o que podia resultar em desistência de muita gente, algo que realmente acontecia com freqüência.

Em poucas partidas que cheguei a jogar por correspondência, fiquei três vezes sem receber resposta alguma, pois, simplesmente deixaram de enviar as cartas-lances. Irônico o fato de estar parcialmente “melhor” apenas em uma, enquanto nas outras duas estava prestes a perder. Os campeonatos ditos “oficiais” nunca foram muito bem divulgados, devido ao pequeno número de pessoas interessadas, mas estiveram sempre presentes.

Com a Internet, o xadrez passou a ser jogado muito na rede, em tabuleiros-software. Entre eles, o mais simples e conhecido é o Ws-Chess e o IRC-Chess, que possui mais recursos. Em compensação, tudo isso pode sair um pouco caro, devido aos impulsos telefônicos que serão gastos para uma partida on-line. Para sanar este problema, o xadrez por email tornou-se a melhor solução. É equivalente ao xadrez por carta, com a vantagem já conhecida entre os internautas – a facilidade e agilidade do envio e recebimento de mensagens. Assim como nas correspondências, no jogo por email são utilizadas as notações comuns do xadrez. A notação algébrica (longa ou figurativa) é padrão, apesar de existirem outras. O tabuleiro é dividido em numeração 8×8 entre letras e números, ou seja, a linha vertical é numerada de baixo para cima, do número 1 até 8. A linha horizontal vai da letra “a” até “h”, da esquerda para direita.

Logo, se o movimento é a2-a4, o peão em a2 irá para a casa a4. Se o movimento é c2-d3, o bispo em c2 irá para a casa d3. É muito parecido com o jogo de batalha naval que jogávamos às escondidas nas aulas do colégio, usando o caderno de aulas.

Apesar de muitos ainda terem o péssimo hábito de tomarem chá-de-sumiço no meio de uma partida, o tempo “perdido” é irrelevante, tendo em vista que cada envio/resposta é dotado de apenas uma rápida linha do lance, deixando todo o processo muito rápido. O mais interessante, no entanto, é poder mandar o lance seguido de algum tipo de conversa paralela, a fim de conhecer melhor seu adversário ou, quem sabe, fazer uma nova amizade. Para guardar as jogadas e, logicamente, fazer as suas, você pode contar com três alternativas: ter um tabuleiro de xadrez em casa, sabendo que só poderá jogar com uma pessoa por vez; ter um jogo de xadrez no computador que possa salvar jogos, a fim de jogar com várias pessoas ao mesmo tempo e participar de campeonatos independentes ou chaves entre amigos; ou comprar uma dúzia de tabuleiros…

Como boa referência no Brasil, o site mais indicado encontra-se em http://www.xadrez.com.br, mas existem outros excelentes no exterior, podendo inclusive achar novos programas e torneios. Entre eles, estão http://207.86.247.69/ com muitos softwares e tabuleiros on-line, assim como no endereço http://jagor.srce.hr/~davgolek/. Já em http://www.eics.com/iecg, você pode inscrever-se em uma comunidade internacional de jogadores, e até participar de campeonatos, gratuitamente.