Em Montreal, manifestação reúne 150 em apoio a protestos no Brasil

Paulo Rebêlo Folha de S. Paulo – 16.junho.2013 (link) Mesmo debaixo de muita chuva, a comunidade brasileira em Montréal, no Canadá, reuniu cerca de 150 pessoas para protestar em frente ao Consulado Brasileiro na Westmount Square, durante a tarde do domingo (16). O movimento “Democracia não tem fronteiras” fez a mobilização por meio das redes sociais e uma caminhada, que saiu às 13h30 da praça do Canadá e seguiu até o Consulado. A manifestação ocorreu de forma pacífica e sem imprevistos. Ao chegar no edifício comercial onde fica o Consulado Brasileiro, os manifestantes cantaram o hino nacional, tiraram fotos e tentaram explicar as motivações do movimento aos curiosos que passavam no local e também para a imprensa de Montréal, presente no local. Foi um protesto simbólico, já que o Consulado não abre ao público nos finais de semana. Os manifestantes se concentraram do lado de fora. Como prevê a lei canadense, o protesto foi comunicado com antecedência às autoridades locais, que permitiram sua realização. Duas viaturas da polícia acompanharam todo o percurso. A brasileira Marcela Sanches foi uma das responsáveis pela organização do evento. Para ela, a manifestação serviu para mostrar “que é possível se manifestar sem ser agredido”. “Se

texto completo

Pinheirinho e os eleitores cordiais

Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco | 20.abr.2012 | link | email Três meses depois, o assunto desapareceu do noticiário. Mesmo assim, ainda hoje encontramos grupos de direitos humanos discutindo a desocupação das famílias em Pinheirinho pela polícia de São Paulo. De carona na discussão, há uma dúvida recorrente e de amplitude nacional: será que todas as pessoas que ficaram escandalizadas e foram às ruas e às redes sociais para protestar irão, mais uma vez, colocar no poder os mesmos responsáveis por aquela injustificável truculência com as famílias desabrigadas? Há centenas de Pinheirinhos, todos os dias, em todo o Brasil. Estão na falta de livros e professores nas escolas, no sucateamento dos hospitais públicos, na ausência de saneamento básico, segurança pública, infraestrutura e dignidade. Também protestamos contra tudo isso, é verdade. Curiosamente, meses depois colocamos no poder os mesmos responsáveis pelos mesmíssimos Pinheirinhos. A história política do Brasil nos comprova que somos frutos de gerações inteiras de eleitores bem cordiais. Com muita fé na humanidade e também nas promessas de campanhas que, vejamos bem, são exatamente iguais de norte a sul. Nas ruas e na internet, todos conclamam que os governantes deveriam ter vergonha do que aconteceu em Pinheirinho. Que deveriam ter

texto completo

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram