Invasões médicas

Paulo Rebêlo Portal NE10 / JC – 04.dez.2012 link original Não faz muito tempo e a gente ia ao médico apenas para ouvir a pergunta: faz exercício físico regularmente ou é sedentário? Aquilo já me irritava sobremaneira. Não havia meio termo. Ninguém quer saber se a gente faz exercício quando dá tempo, quando não tem deadline, quando o parque ainda está aberto. Ou você é saudável ou é sedentário, um preguiçoso que passa o dia inteiro vendo televisão e comendo batata-frita com Baré Cola. Bons tempos foram aqueles. Hoje eles querem saber quais são os meus hábitos alimentares. Se incluo frutas e verduras na minha dieta. Se corto frituras e gorduras. Se evito sal, açúcar e enlatados. Tento explicar que não faço nada disso porque, se o fizesse, certamente estaria pensando em suicídio. Mas eles não escutam. Pior ainda, agora o enxerimento foi além da linha vermelha e querem saber como anda minha vida sexual. Doutor, minha vida sexual não anda, ela deita. Quando dá tempo, quando não tem deadline, quando o parque está aberto para mim. O dente dói. Vou à dentista e a ninfeta acha que por ser novinha e bonita tem o direito de influenciar meus hábitos de quatro xícaras

texto completo

O caos da saúde

Desafios do próximo prefeito // População do Recife ainda sofre sem condições adequadas de atendimento médico de rotina e urgência Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 10.agosto.2008 A situação é conhecida. O paciente sai de casa em busca de atendimento de urgência e, ao chegar ao posto de saúde ou a policlínica municipal, é encaminhado a um hospital de referência do estado. E lá encontra filas enormes e uma unidade sem estrutura para atender a demanda por atendimento, assim como os jornais noticiam rotineiramente. Isto quando não vai direto para um hospital de referência ao lembrar de suas experiências anteriores nas dependências municipais.

texto completo

Por um mundo de carecas unidos

Paulo Rebêlo // julho.2006 Ficar careca é uma arte. É preciso muita concentração para não se deixar levar por aquela mentira cabeluda do é dos carecas que elas gostam mais. Inclusive, talvez o excesso de concentração seja o motivo de acelerar a queda dos cabelos. Se bem que os meus não estão mais caindo. Há tempos, eles simplesmente se jogam.

texto completo

Debaixo dos Caracóis…

Paulo Rebêlo // julho.2004 Ficar careca é uma arte. É preciso muito controle e concentração para não se deixar levar por aquela mentira cabeluda ‘é dos carecas que elas gostam mais’. Inclusive, talvez o excesso de concentração seja o motivo de acelerar a queda dos cabelos. A queda, não. Porque os meus não estão mais caindo. Agora eles se jogam.

texto completo

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram