Vereadores na berlinda

Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 16.agosto.2006 Pelo menos 12% dos atuais 661 vereadores-candidatos, no Brasil, respondem a processos na Justiça, tiveram contas de campanha rejeitadas em eleições passadas ou foram punidos por Tribunais de Contas de seus respectivos estados. São 78 parlamentares na berlinda, mas o número deve ser maior, segundo a ONG Transparência Brasil.

texto completo

Prestação de contas após escândalo

RECIFE // Vereadores da capital, acusados de irregularidades com verbas de gabinete, indicam arrecadação e gastos de campanha eleitoral Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 13.agosto.2008 A primeira parcial da prestação de contas – arrecadação e despesas – para a campanha eleitoral dos vereadores recifenses, acusados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de falsificarem notas fiscais e de outras irregularidades com as verbas de gabinete, pode ser conferida no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

texto completo

Fraudes na Câmara Municipal: irregularides e notas fiscais falsas

Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 12.agosto.2008 A “farra do boi” entre os vereadores recifenses é quase literal. O resumo do relatório do TCE indica que 98% das notas fiscais, oficialmente para despesas com alimentação, concentram-se em gastos com bares e restaurantes e totalizam até R$ 203 mil. Trata-se apenas de uma parcela de gastos irregulares, cujo total chega a R$ 976 mil durante o curto período de tempo – dez meses, entre 2006 e 2007 – analisado. O processo da auditoria especial é de número 0605226-5 e surgiu a partir da CI 095/2006 de 20 de outubro de 2006. Os resultados começaram a aparecer nos últimos dias.

texto completo

Candidatos que enriquecem

Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 05.agosto.2008 Em apenas dois anos, os vereadores brasileiros tiveram enriquecimento médio declarado de 41%, enquanto os deputados e senadores aumentaram seus patrimônios em 50%. O levantamento acaba de ser divulgado pela ONG Transparência Brasil e mede a evolução patrimonial de 180 parlamentares nas capitais brasileiras, entre aqueles que foram candidatos às eleições em 2006. O ranking é elaborado ao se comparar a lista com a atual declaração, agora em 2008, dos candidatos a prefeito, vice e vereador.

texto completo

Os eternos desafios da habitação e saneamento

DESAFIOS DO RECIFE // Mesmo com os projetos executados por vários prefeitos, Recife tem um dos maiores déficits habitacionais do Norte e Nordeste Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 20.julho.2008 Todo prefeito do Recife se orgulha da criação de novas moradias populares e suas respectivas infra-estruturas, mas a conta não fecha. Ao final de cada gestão, o problema de habitação continua a ser um dos principais desafios do futuro prefeito, pois o déficit habitacional cresce a cada ano. A depender da fonte de pesquisa, o número pode até variar, mas os indicadores convergem ao resultado prático: nas regiões Norte/Nordeste, o Recife é – novamente – a capital com o pior índice do setor.

texto completo

Candidatos com baixa escolaridade

Eleições // Estatística do TSE revela que apenas 18,5% dos inscritos para receber o voto dos pernambucanos têm curso superior Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 17.julho.2008 Se o Senado Federal é o retrato do Brasil e as Câmaras Municipais o retrato do eleitor local, a qualificação dos candidatos em Pernambuco parece ratificar ainda mais a teoria. Dos 13.502 concorrentes a prefeito, vice-prefeito e vereador registrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no Estado, somente 2.501 (18,5%) possuem curso superior completo. Ao limitar a estatística apenas para quem tenta uma prefeitura, o quadro melhora: quase 50% tem formação superior.

texto completo

Entrevista [Antônio Lavareda]: querem eleição sem campanha

Paulo Rebêlo e César Rocha Diario de Pernambuco – 10.julho.2008 De passagem pelo Recife para divulgar seu livro (Partidos no Pós Guerra: Eleição em Pernambuco 1945 – 1947), o cientista político e analista de pesquisas Antônio Lavareda tem uma visão privilegiada do Recife. Não apenas pela altura do empresarial na Ilha do Leite e suas amplas janelas, mas sobretudo pelo seu histórico nas principais campanhas eleitorais da capital. Pela primeira vez em mais de duas décadas, Lavareda não gerencia a comunicação e o marketing de um candidato local — apesar de fazer consultoria para a campanha de André Campos (PT) em Jaboatão dos Guararapes. Ele é o responsável direto pelo marketing de Gilberto Kassab, candidato à prefeitura de São Paulo, além de outras tantas cidades brasileiras. Na entrevista a seguir, concedida na sede de sua empresa (a MCI), Lavareda critica a legislação eleitoral em vigor no Brasil, cobra mais transparência e informação nos guias televisivos, sugere a ampliação do período eleitoral para que o eleitor se informe melhor e analisa o potencial dos principais concorrentes da disputa municipal deste ano.

texto completo

Futuro do Recife emperrado na Câmara de Vereadores

BALANÇO // Parlamentares entram em recesso e no período eleitoral sem votar Plano Diretor Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 02.julho.2008 Entre inúmeras homenagens, votos de aplausos e concessões de títulos de cidadania, o primeiro semestre para a Câmara Municipal de Recife não divergiu do quadro de benevolência à Prefeitura do Recife – a exemplo da Assembléia Legislativa com o governo estadual (veja abaixo). Apesar de críticas contundentes (para a pequena platéia de costume) que freqüenta as sessões plenárias, durante a votação das principais matérias, os integrantes do legislativo local casaram suas idéias e opiniões com as do Poder Executivo.

texto completo

Argumentos que emperram a transparência dos gastos

Despesas públicas // AGU contesta requerimento que pede abertura de contas oficiais Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco – 29.junho.2008 Até onde a segurança nacional se transforma em barreira à transparência de documentos públicos? Se depender da Advocacia Geral da União (AGU), os limites continuam ditados pelos interesses do Poder Executivo, com a morosidade em abrir documentos oficiais e revelar gastos com dinheiro público. Ao contestar um pedido de liminar da Procuradoria Regional da República (PGR), a AGU reforça a tese de que cabe ao Executivo “a competência para estabelecer as espécies de sigilo dos documentos, como secreto ou reservado, algo absolutamente razoável”.

texto completo

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram