Seis horas que valem uma vida

Jovens do Sertão do Pajeú fazem visita cultural ao Recife e descobrem que o mundo real pode ser mais vibrante que as páginas dos livros didáticos Paulo Rebêlo Diario de Pernambuco 26.janeiro.2009 Se você tivesse apenas uma tarde para conhecer o Recife, ciente de que talvez não haja outra oportunidade de voltar, para onde você iria? E se você nunca viu o mar, nunca colocou os pés na areia da praia em toda sua vida, onde valeria a pena passar a única tarde disponível? Para 80 alunos do Centro da Juventude (CJ) de Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú a 380 quilômetros do Recife, a parada foi certeira: o Instituto Ricardo Brennand, no bairro da Várzea.

texto completo

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram