Gripe suína: Tamiflu vira manchete, mas pouco ou nada se sabe

Paulo Rebêlo | 04.agosto.2009
Knight Center for Journalism


Quanto mais casos de morte por gripe suína são reportados na América Latina, maior é o tom alarmista da imprensa e menor é o real conhecimento da população sobre variáveis presentes na cobertura. Da noite para o dia, o nome do remédio “tamiflu” ganhou as principais manchetes, diariamente, de jornais, revistas e televisão. Mas na maioria dos países latinos, pouco ou nada se ouviu falar sobre o medicamento até agora.

Excetuando-se reportagens isoladas e específicas sobre saúde, publicadas no passado e sem vínculo algum com a gripe suína, o Tamiflu é uma grande novidade para a maioria da população que desconhece esse remédio tão popular nos Estados Unidos. Por que? Ninguém sabe explicar ao certo e, até agora, a imprensa tem falhado em ir além do noticiário factual.

Críticas sobre potenciais efeitos adversos do Tamiflu também estão fora das manchetes, mesmo quando há precedentes até hoje pouco explicados, como mostra uma reportagem do Japan Times publicada no dia 20 de março de 2007. O Japão é o país que mais compra Tamiflu e há dezenas de casos de suposto suicídio por pacientes que usavam o medicamento.

Estudos sobre efeitos colaterais do Tamiflu em criançasefeitos nocivos à pele também não fazem parte da cobertura.

No Brasil, após forte pressão dos médicos, o governo resolveu liberar de vez a prescrição de Tamiflu para pacientes que não estejam enquadrados no chamado “grupo de risco avançado”. Há poucas semanas, somente a rede pública de saúde podia receitar o Tamiflu. E até cinco dias atrás, os médicos da rede particular podiam receitar somente em casos avançados da doença. Agora, qualquer médico pode receitar Tamiflu de acordo com seus próprios critérios.

O uso de drogas contra gripe é uma novidade para a maioria dos países latinos, os quais conhecem e usam apenas formas de vacina contra gripe e, mesmo assim, somente implementada em larga escala há poucos anos.

A falta de profundidade na cobertura da gripe suína não é exclusividade da América Latina. Há menos de duas semanas, o colunista do Los Angeles Times, James Rainey, criticou a superficialidade da imprensa americana, enquanto no Brasil diversas críticas tratam da irresponsabilidade dos jornaisnas manchetes e notícias sobre a epidemia.

Muito pouco se fala ou se explica sobre o Tamiflu, uma espécie de santo graalda medicina atualmente em prática na América Latina contra a gripe.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram