Novo protesto contra votação

Eleitores querem novo pleito em Camaragibe, apesar de TRE dar o assunto como encerrado

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco
10.outubro.2008

Outro protesto contra urnas defeituosas em Camaragibe deve movimentar a cidade, hoje, a partir de 14h, na expectativa velada de que um precedente seja aberto em Pernambuco. No entanto, se depender do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não haverá novas eleições e o assunto está encerrado. Nacionalmente, o pleito é considerado de “sucesso absoluto e sem nenhuma disfunção” pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE, ministro Carlos Ayres Britto.

As reclamações em Camaragibe estão por todos os lados, onde o índice de abstenção superou, em muito, a média histórica do município. Associações de moradores, candidatos e militâncias prometem uma caminhada pacífica até o fórum eleitoral.

Na noite da última terça-feira, mesários e fiscais reclamaram que várias urnas apresentaram defeitos e não foram trocadas até o meio da tarde do domingo, deixando várias pessoas sem votar, sobretudo as que vieram de longe e sem transporte.

O atual prefeito João Lemos (PCdoB) venceu por 523 votos de diferença para o segundo colocado, Demóstenes e Silva Meira (PSC), na cidade cujo eleitorado é de 104 mil pessoas. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) garante que um relatório sobre os defeitos será apresentado, em breve, sem especificar a data.

De antemão, a Corregedoria descarta todas as suspeitas levantadas pelos eleitores, principalmente de que as fotos dos candidatos pudessem estar trocadas ou a urna programada para finalizar o processo antes de computar o voto para prefeito.

Dina Monteiro, presidente da Associação de Moradores de Camaragibe, protocolou, no TRE, o documento em que explica a insatisfação. Para a juíza eleitoral de Camaragibe, Ana Paula de Almeida, o nível de abstenção está dentro dos padrões registrados nas últimas eleições.

“O resultado foi apertado, então há muito inconformismo. Toda eleição é assim. Muita gente votou em vereador achando que votava para prefeito, outros digitaram o número do prefeito quandoera para vereador e o voto vai para a legenda”, disse, negando o boato de que teria sofrido ameaças.

Mais de 2 mil urnas substituídas

Os dados oficiais do TSE mostram que 2.233 urnas foram substituídas em todo o país, representando 0,49% do total de 455.971 urnas. Doze seções tiveram votação manual: cinco em São Paulo e uma no Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba e Piauí. O TSE não divulga informações específicas sobre os problemas em Pernambuco.

Localmente, a Corregedoria do TRE explica que os problemas ocorreram por conta de uma incompatibilidade entre as urnas (usadas desde a eleição de 1998) e o cartão de memória (flashcard) adotado para computar os votos. Os flashcards são os mesmos usados em aparatos tecnológicos, como câmeras digitais e celulares mais modernos. O laudo técnico do TSE, pelo qual se respaldava o devido funcionamento das urnas e dos cartões de memória, não se mostrou eficaz.

Por meio de sua assessoria, O TSE informa que não irá se pronunciar sobre a questão. Os erros testemunhados em Camaragibe também foram citados em sessão plenária da Assembléia pela deputada estadual Nadegi Queiroz (PMN). Segundo ela, das 282 urnas, 66 apresentaram defeito e muitos optaram por não votar.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram