Hillary só faz adiar a sua retirada

Categories JornaisPosted on

ELEIÇÕES NOS EUA // Para analista que esteve no Recife, Obama ganhou a vaga

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco – 15.maio.2008

Apesar da recente vitória de Hillary Clinton (67%) nas primárias no estado da Virgínia Ocidental, o candidato do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos será, sem margem à dúvida, Barack Obama. Quem garante é o professor Thomas Schaller, da Universidade de Maryland, um dos analistas políticos mais conhecidos nos EUA. Durante a tarde de ontem, Schaller proferiu uma longa palestra no auditório dos Diários Associados em Pernambuco, mostrando didaticamente e com vários infográficos como Barack Obama galgou seu espaço com o eleitorado e nas eleições primárias da maioria dos estados norte-americanos. Ao menos, a ponto de não deixar dúvidas quanto à postulação do seu nome à presidência da nação mais poderosa do mundo.

Com a indicação praticamente fechada em torno de Obama para as eleições gerais em novembro, o próximo passo do candidato de apenas 46 anos seria planejar como proceder com a saída de Clinton do páreo. De acordo com Schaller, a própria equipe da esposa do ex-presidente Bill Clinton já admite, entre eles, a derrota dentro do Partido Democrata. “Muitos acreditam que Hillary Clinton poderia se tornar vice de Obama, mas muita gente também acha essa possibilidade um grande pesadelo”, ponderou.

Para o analista, ao mesmo tempo em que existe uma sinalização de Clinton em aceitar a vice-presidência, há uma relativa resistência da equipe de Obama. “A forma como ele irá se posicionar e conduzir internamente esse processo será a última cartada de sua candidatura. Poderá ser um trunfo na campanha ou até mesmo um desastre, mas não irá mudar o quadro de favoritismo na indicação”, garantiu.

Ao escolher entre Obama ou Clinton, os democratas irão concorrer contra o candidato republicano John McCain, senador de 71 anos, veterano de guerra e um dos políticos mais conhecidos dos Estados Unidos. As chances de McCain, contudo, são remotas. “Ele representa o que há de mais conservador nas eleições”, explicou Schaller. McCain também colocou seu nome disponível nas eleições de 2000, maso escolhido foi o atual presidente George W. Bush. Ambos são do Partido Republicano.

A palestra de Thomas Schaller faz parte de um intercâmbio promovido pelo Consulado dos Estados Unidos no Recife, que está trazendo profissionais de destaque em diferentes áreas do setor de comunicação. Em junho do ano passado, quem esteve na capital pernambucana como palestrante foi a jornalista Barbara Walsh, ganhadora do Prêmio Pulitzer em 1988.

Acompanhe os textos também pelo facebook.com/hipopocaranga