Desencontro na Câmara sobre festas para João Paulo

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco – 21.maio.2008

Não é aniversário do prefeito João Paulo, nem qualquer comemoração petista relativa às eleições de outubro, mas a festa vai começar cedo. Um café da manhã promovido pelo setor turístico, seguido por uma homenagem na Câmara Municipal do Recife, onde o prefeito recebe o título de cidadão recifense. Depois almoça no Spettus, do Derby. À noite, a praça do Marco Zero recebe artistas para um show. Na programação festiva, há apenas uma lacuna: quem paga a conta?

Pelas letras oficiais, não há dinheiro público envolvido. A apresentação em praça pública, segundo a assessoria da prefeitura, é organizada pela Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Pernambuco (Apacepe). A homenagem na Câmara é de responsabilidade oficial dos vereadores, que por sua vez têm seus salários e infra-estrutura pagos pela sociedade; e o almoço no Spettus, organizado por amigos.

O vereador oposicionista Gustavo Negromonte (PMDB) questionou na tribuna, durante sessão plenária de ontem, a participação da Apacepe ao bancar o show. De acordocom o parlamentar, é curioso porque a Apacepe já recebeu mais de R$ 500 mil da prefeitura nos últimos 14 meses. Uma rápida consulta às edições anteriores do Diário Oficial do Recife comprova os valores, em vários casos via dispensa de licitação. A Apacepe não é uma entidade desconhecida. É responsável pela organização e produção de eventos como o Janeiro de Grandes Espetáculos, a Paixão de Cristo do Recife, entre outros.

O vereador Henrique Leite (PT), líder do governo na Câmara, rechaçou as insinuações e garantiu não haver nada de ilegal. Mesma posição defendida pelo vereador Carlos Gueiros (PTB), presidente da Comissão de Finanças. “Não há ilegalidade”, deferiu. Um dia antes, o presidente da Câmara, Josenildo Sinésio (PT), autor da proposta do título ao prefeito, chegou a pedir “respeito” ao vereador Daniel Coelho (PV) quando questionou a homenagem. “É campanha fora de época, querem zombar com o TRE”, alfinetou Coelho.

O presidente da Apacepe, Paulo de Castro, não vê qualquer sentido nas críticas. “João Paulo está ganhando a cidadania, não é inoportuno. Íamos fazer uma homenagem no fim da gestão, mas resolvemos antecipar para aproveitar a ocasião da cidadania. Os músicos e artistas não estão cobrando nada, foram apoiados pela prefeitura durante toda a gestão, não há nenhum débito, nenhuma complicação”, pontuou.

João Paulo é natural de Olinda e desde 1988 está envolvido com a política recifense, quando foi eleito o primeiro vereador do PT com 2.723 votos. Também foi deputado estadual por duas vezes.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram