Municípios que ainda remam contra a maré

Pesquisa // Estado caiu duas posições considerando emprego, educação e saúde

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco – 10.agosto.2008

Pela primeira vez, um banco de dados público com números e estatísticas oficiais reunidas pode ajudar prefeitos e governadores a elaborar melhores políticas públicas para a população. Sem depender do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas, o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) agrega três variáveis de ação – emprego/renda, educação e saúde – e cria um ranking das cidades. Firjan é a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. Divulgado durante a última semana e com dados relativos a 2005 para 5.564 municípios brasileiros, mostra que Pernambuco caiu duas posições no ranking de desenvolvimento humano. No desempenho estadual, Pernambuco saiu da 11ª posição nacional para 13º.


Recife, contudo, melhorou sua colocação e hoje é primeiro lugar no estado e 331º no Brasil. Em 2000, a capital ocupava a terceira colocação, atrás de Olinda e Jaboatão. Estes dois municípios conseguiram ir contra a maré do desenvolvimento nacionale do aquecimento da economia, regredindo para 5º e 6º colocação, respectivamente. Ao calcular a média das três variáveis da metodologia, nove municípios pernambucanos apresentaram variação negativa entre 2000 e 2005: Jaboatão, Camaragibe, Santa Filomena, Amaraji, Angelim, Olinda, Floresta, Cupira e Ipojuca, em ordem crescente.

Apesar da posição confortável, Recife cresceu menos do que outros municípios em Pernambuco. Lagoa do Ouro, Jurema, Jucati, Oboró e Vertentes tiverem crescimentos no IFDM entre 2000 e 2005 acima de 60%. A maioria dos 185 municípios obteve melhoria na classificação. Ou seja, 95,1% estão numa situação melhor do que a encontrada em 2000, segundo o ranking.

Os atuais cinco municípios em pior situação são Santa Filomena, Lagoa dos Gatos, Caetés, Saloá e Manari. No ranking do estado, Caruaru, por outro lado, avançou do nono para o terceiro lugar. Já Petrolina, da 14ª para a quarta posição, apresentando um dos maiores crescimentos registrados pelos técnicos da Firjan. As melhores condições também se deveram, principalmente, aos avanços nos indicadores de emprego e renda.

A diretora de desenvolvimento econômico da Firjan, Luciana de Sá, comemora o interesse de vários prefeitos que procuraram a equipe para entender melhor os números. “Até agora não tivemos contestações, até porque os dados são oficiais e compilados pelo governo federal, via ministérios”, explica. Procurada pelo Diario, a Prefeitura de Jaboatão não retornou as solicitações. O prefeito de Ipojuca Pedro Serafim (PDT) não foi localizado. Em Olinda, por meio de sua assessoria, a prefeitura ironizou a pesquisa por achar os números antigos e “estranhos”.

Colocação dos municípios

Ranking – 2005
1º Recife 0.7772
2º Cabo de Santo Agostinho 0.7141
3º Caruaru 0.7033
4º Petrolina 0.6784
5º Jaboatão dos Guararapes 0.6723

181º Santa Filomena 0.4112
182º Lagoa dos Gatos 0.4088
183º Caetés 0.4007
184º Saloá 0.3974
185º Manari 0.3652

Ranking – 2000
1º Olinda 0.7113
2º Jaboatão dos Guararapes 0.6744
3º Recife 0.6743
4º Cabo de Santo Agostinho 0.6709
5º Ipojuca 0.6650

181º Vertentes 0.3166
182º Lagoa do Ouro 0.3103
183º Paranatama 0.3102
184º Jurema 0.2939
185º Jucati 0.2727

Os municípios que regrediram em PE (variação 2000-2005)
Jaboatão dos Guararapes -0.3%
Camaragibe -2.4%
Santa Filomena -3.9%
Amaraji -5.8%
Angelim -6.0%
Olinda -6.2%
Floresta -7.7%
Cupira -8.9%
Ipojuca -11.7%

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Protena e lpulo no mesmo enquadramento desta sexta
  • Deu praia

arquivão