Amupe aciona palácio para conter violência

Campanha // Entidade solicita providências a Eduardo para evitar ameaças e atentados

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco – 27.agosto.2008

Ofício encaminhado ao governador Eduardo Campos (PSB) pela Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), ontem, solicita providências sobre casos de ameaças e atentados contra políticos no interior do estado. Somente na última semana foram registradas ocorrências em Cabrobó, Tupanatinga, Itapetim e até mesmo em Paulista. Na primeira, o candidato a vereador Mozani Araújo, índio da etnia truká, foi morto com tiros à queima-roupa.

Embora seja reflexo de um cenário preocupante, o pedido do presidente da Amupe, Arquimedes Guedes Valença, pode engrenar um processo belicoso em Pernambuco, onde a fiscalização e monitoramento das campanhas eleitorais é historicamente deficiente – seja por falta de efetivo da Justiça Eleitoral, uma realidade reconhecida pelas próprias autoridades; ou pela simples falta de interesse político.

No caso de Tupanatinga, o atual prefeito Manoel Roque (PMDB) garantiu que homens armados invadiram sua casa, segunda-feira, de armas em punho. De acordo com a nota distribuída pela sua equipe, os homens conseguiram fugir, mas foram identificados. Supostamente, seriam ligados ao grupo político adversário, do socialista Duca Feitosa, mesmo partido do governador.

Duca Feitosa acusa Roque de oportunismo político e pede ao governo que leia os boletins de ocorrência registrados na delegacia de Tupanatinga. O advogado Joaquim Neto, filho de Feitosa, esclarece que houve, de fato, uma confusão em frente à residência do prefeito. O incidente teria ocorrido por conta de uma desavença entre dois partidários, que discutiram, brigaram e puxaram armas. “Um dos jovens, partidário nosso, prometeu que mataria o outro. Não há esse clima de ameaça contra político algum, querem dificultar nossa campanha”, disse.

Manoel Roque esteve no Recife, ontem, para tentar uma audiência com o governador. Reclamou do clima de insegurança e reafirmou as acusações. Roque exerce o segundo mandato e seu candidato à sucessão, Manoel Tomé, é o vice-prefeito de Tupanatinga. O ofício da Amupe revela, ainda, o desbaratamento de uma tentativa de assassinato por encomenda em Itapetim, contra o prefeito Adelmo Alves de Moura. Arquimedes Valença solicita ao governo reforço policial “para que se possa inibir qualquer ato de violência e de perturbação da paz e do clima democrático das eleições”.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Protena e lpulo no mesmo enquadramento desta sexta
  • Deu praia

arquivão