Candidatos com baixa escolaridade

Eleições // Estatística do TSE revela que apenas 18,5% dos inscritos para receber o voto dos pernambucanos têm curso superior

Paulo Rebêlo
Diario de Pernambuco – 17.julho.2008

Se o Senado Federal é o retrato do Brasil e as Câmaras Municipais o retrato do eleitor local, a qualificação dos candidatos em Pernambuco parece ratificar ainda mais a teoria. Dos 13.502 concorrentes a prefeito, vice-prefeito e vereador registrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no Estado, somente 2.501 (18,5%) possuem curso superior completo. Ao limitar a estatística apenas para quem tenta uma prefeitura, o quadro melhora: quase 50% tem formação superior.
Somente 32 pessoas estão registradas como “analfabetas”, embora 3.108 delas (23% do total) não possuem sequer o ensino fundamental (antigo ginásio) completo, classificados como “apenas lêem e escrevem”. O melhor índice é para quem tem apenas o Ensino Médio completo, com 4.833 candidatos a vereador (38,6%) situados nesta faixa, além de 2.580 (20,6%) com Ensino Médio incompleto. A escolaridade melhora, novamente, para o quadro de prefeitos e vice-prefeitos, com mais escolaridade.

A estatística dos candidatos divulgadapelo TSE também corrobora outra tese vigente no Brasil. Se por um lado a escolaridade dos políticos não é de encher os olhos, por outro as candidaturas representam uma fatia da população com melhor acesso financeiro, ou seja, com melhores condições econômicas.

Perfil profissional

Em Pernambuco, a maioria dos candidatos são comerciantes, “agricultores”, empresários, médicos, prefeitos, vereadores, servidor público estadual e advogados. No caso específico do Recife, para uma vaga na Câmara, também sobressai o número de policiais militares (29), professores de ensino médio (25) e estudantes ou estagiários (30) que disputam uma das 37 cadeiras do legislativo municipal. De todas as profissões, a maioria (142) não foi declarada ou não possui definição, situando-se como “outros”.

A faixa etária dos candidatos também não apresenta muita surpresa, com exceção de um único caso: a lista do Tribunal Superior Eleitoral revela um jovem entre 18 e 20 anos candidato a prefeito, em cidade não especificada em Pernambuco. Para vereador, contudo, há 99 pessoas na mesma faixa etária. Entre 21 e 24 anos, há apenas quatro para prefeito e 338 para uma vaga nas Câmaras Municipais. Na outra ponta, de candidatos com mais de 79 anos, há somente dois para prefeito; e 15 para vereador. A maioria dos concorrentes estão situados nas faixas etárias de 25 a 34 anos, 35 a 44 anos e, finalmente, em maior número na escala de 45 a 59 anos.

As estatísticas das candidaturas no processo eleitoral deste ano registram um aumento razoável de participação feminina. Apesar de ainda bastante inferior aos homens, as mulheres concorrem em maior número quando comparado a eleições passadas. Do total de 13.502 registros em Pernambuco, 2.646 são mulheres, contra 10.856 homens. Situam-se na mesma faixa etária majoritária do que os homens. O aumento feminino é registrado não somente no Estado, mas em todo país, segundo o TSE.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • No lembro mais a ltima vez ou h quantos anos
  • Remdio caseiro conhecido como kitcuraressaca Um oferecimento dos laboratrios heineken

arquivão