Internet três vezes mais cara

Paulo Rebêlo e Luísa Abreu
Folha de Pernambuco – 08.fevereiro.2006

A partir do próximo mês, a Telemar começa a mudar a tarifação das contas telefônicas. Em Pernambuco, a previsão oficial é de que a novidade tenha início em março e, até 31 de julho, 97% dos telefones da operadora deixem de registrar pulsos para contabilizar minutos de ligação. A conversão para minutos beneficia diretamente quem faz ligações curtas (de até três minutos) enquanto, por outro lado, triplica o custo de quem acessa internet por linha discada, ou seja, todas aquelas pessoas que ainda não migraram para um plano de banda larga.

A mudança de tarifação tem sido discutida desde o ano passado. As idéias iniciais eram de diminuir o custo da assinatura fixa, que hoje custa R$ 40, e diminuir o encargo financeiro das pessoas que usam telefone. Meses de debates entre as operadoras telefônicas e a Anatel levaram a uma resolução padronizada para todo o País: as ligações precisam ser cobradas por minutos, não mais por pulsos telefônicos. Cada pulso, hoje, representa quatro minutos de conversa. A assinatura mensal permanece a mesma.

Segundo a coordenadora do Departamento de Relações Institucionais da Pro Teste, Maria Inês Dolci, “a mudança irá baratear as ligações de até três minutos e o consumidor terá uma taxa fixa de 200 minutos mensais que, se ultrapassada, será paga em tempo real, a chamada minutagem. Para não ter surpresas, as ligações longas devem ser evitadas”, adverte. Aí é que mora o perigo: a conexão para internet é uma ligação longa, visto que o telefone fica ocupado enquanto o usuário navega.

Em Pernambuco, o minuto da ligação local vai custar R$ 0,09865 (quase dez centavos) enquanto que, hoje, o pulso cobrado a cada quatro minutos custa R$ 0,15388 (pouco mais de 15 centavos). Para a conexão internet, significa que quatro minutos vão custar R$ 0,3946 – quase 40 centavos. Entre março e julho, a Telemar informará aos clientes, por meio da conta telefônica e comunicados públicos, os prazos finais em cada área e detalhes sobre a nova conta telefônica. A lista dos municípios já está publicada no site da empresa.

Sem banda larga e de olho no relógio
Um levantamento do Ibope/NetRatings revela que o Brasil fechou 2005 com quase 4,8 milhões de internautas ativos de linha discada, o que significa 39,1% do total de usuários da internet residencial brasileira.Com a tarifação por minutos, o chamado pulso único permanece. É a medição adotada pelas operadoras entre 0h e 6h durante a semana e a partir de 14h do sábado até 6h da segunda-feira. A diferença é que agora não será pulso único, mas minuto dobrado, ou seja, vale o preço de dois minutos de uma ligação.

A estudante Rafaela Cavalcanti, 18, tem acesso discado em casa e, para cortar gastos, só navega nos finais de semana. “Entro aos sábados e domingos por causa da tarifa reduzida e, quando preciso da internet durante a semana, vou à uma lan house”, conta.No caso dela, a mudança tarifária tende a não onerar demais a conta no final do mês, diferentemente do supervisor de atendimento Gabriel Torres e da esposa, que navegam várias horas durante o horário comercial. “Vamos ter que diminuir o tempo de conexão ou apertar outras contras da casa, é o jeito. Talvez, até pensar em migrar para um plano de banda larga”, revela Torres.

A opção de conectar durante a madrugada nos dias de semana, porém, pelos motivos óbvios, trata-se de alternativa impraticável para a maioria de usuários. Segundo um dos analista do Ibope/Netratings, José Calazans, dados coletados pelo instituto em 2005 mostram que o pico de uso da internet residencial no Brasil é das 19h às 21h.

A madrugada e o início da manhã, quando a internet continua mais barata, são os horários com menor tempo de uso. Procurada pela Folha sobre a alta nos preços, a Telemar limitou-se a responder que apenas cumpre as regras estipuladas pela Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel.

Custo é superior a 100% de diferença

A consultoria Direction, especializada em soluções de Tecnologia da Informação, elaborou um estudo específico sobre a nova tarifação das teles. De acordo com o diretor da empresa, Jairo Martins Marques, ligações acima de 1min43s perdem gradualmente a vantagem, até chegar ao limite máximo de 156% mais caras – para ligações de 160 minutos.

Marques e Calazans apontam o aumento da procura pelos planos de banda larga que, a partir de agora, se tornará opção bem interessante. O usuário paga um valor fixo mensal e navega por tempo indeterminado, em conexão mais rápida e limpa do que o acesso discado. O que, de certa forma, também beneficia as operadoras que disponibilizam planos de internet rápida.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Protena e lpulo no mesmo enquadramento desta sexta
  • Deu praia

arquivão