Apartnet desconectado

Quem é cliente do Apartnet, serviço de Internet condominial oferecido pela Inter.net no Recife (antiga Elógica), vai ficar a ver navios. Até o início de outubro, a empresa vai cancelar a oferta para todos os usuários residenciais, deixando-os apenas com a opção de voltar ao acesso discado “promocional” por modem e linha telefônica ou a optar por outro serviço de conexão. No entanto, a promoção não ameniza os pulsos telefônicos na conta, situação pouco agradável para quem acostumou-se a ter Internet funcionando 24 horas em casa. Um levantamento extra-oficial, não confirmado pela empresa, é de mais de 150 prédios que vão perder o acesso, totalizando algo em torno de duas mil pessoas. E agora?

Paulo Rebêlo
Folha de Pernambuco, 07.setembro.2005

O Apartnet é um serviço do tipo Internet condominial, no qual é criada uma rede local dentro do edifício para dividir uma conexão aos usuários interessados, com mensalidade fixa e suporte técnico gratuito. A conexão é 24 horas e funciona logo ao ligar o computador, sem necessidade de discar ou efetuar qualquer procedimento manual. Inicialmente oferecido pela Elógica, quando a mesma ainda era provedor de acesso, antes de ser vendida para a multinacional Inter.net, o Apartnet conquistou muita gente por causa dos principais benefícios da Internet condominial: baixo preço e alta disponibilidade.

Com o cancelamento do Apartnet, confirmado pela diretoria da Inter.net em São Paulo, os condomínios vão precisar recorrer a outra alternativa, sob o risco de ficar sem acesso à Rede. A versão oficial da Inter.net é que o acesso será desativado por causa da mudança de foco da empresa, que agora quer se dedicar a usuários corporativos. “Estamos muito mais dedicados aos projetos de Internet sob medida para empresas”, explica o diretor-executivo, Mauricio Zanetti, em um comunicado oficial distribuído à imprensa.

Ainda de acordo com o comunicado, os clientes do Apartnet podem optar por seis meses de mensalidade gratuita para o acesso discado, sem perder a conta de e-mail principal. Até o dia 5 de outubro, será decretada a morte geral do Apartnet no Recife. “Agora não sabemos para onde ir. O suporte nos sugere migrar para o Velox da Telemar, já que a Inter.net também é provedora, mas é muito mais caro”, lamenta André Lima Reis, usuário há um ano em edifício na Boa Vista.

Empresa não se pronuncia sobre o caso

Os usuários do Apartnet ficaram sabendo que perderiam o serviço por meio de um comunicado por e-mail e por escrito, com a sugestão de mudar o tipo de conexão ou migrar ao Velox. Um susto para pessoas como André Lima Reis, para qual o “Apartnet sempre atendeu bem aqui em casa pelo preço cobrado”. Opinião similar à de Karina Lima que, apesar de problemas no início do ano, quando o prédio em que mora, em Casa Forte, ficou sem Internet durante quase um mês, não reclama do serviço. “A relação custo-benefício é melhor, pois o Velox ainda é bem caro”, garante. A Inter.net, porém, não quer se pronunciar.

Durante vários dias, a Folha procurou a diretoria da Inter.net em São Paulo para maiores explicações, mas foi informada que o diretor-executivo (Zanetti) não poderia conceder novas entrevistas “por motivos de viagem”. De volta a São Paulo, a assessoria de Zanetti informou que o mesmo “não poderia conceder entrevistas por excesso de reuniões”. Em nota oficial, a direção apenas enfatiza que o escritório da empresa no Recife “continuará operando normalmente e está muito bem comercial e financeiramente, com muitos assinantes para o acesso discado e banda larga”.

Outros provedores oferecem serviço parecido

A Inter.net não é a única a oferecer Internet condominial no Recife. Hotlink e Nlink também são provedores de acesso com serviços similares, apesar de usarem tecnologias distintas na hora de conectar o usuário à Rede. A mudança de provedor, contudo, é o principal entrave apontado pelo usuário Guilherme Moura, um dos primeiros que aderiram ao Apartnet, em 1999. “É uma surpresa desagradável, depois de tanto tempo. Tivemos alguns problemas sérios, mas no geral não tenho do que reclamar. A velocidade era boa, a tecnologia (ADSL) é rápida e, quando dava problema na rede, em quatro ou cinco horas eles resolviam”, explica.

A Nlink tem o INI, que oferece conexão 24h com 256 kbps de velocidade para download e upload do usuário, além de e-mails ilimitados com 50 Mb de espaço para cada, outros 50 Mb para criar uma home page, acesso a webmail, promoções, acesso discado grátis e suporte técnico por e-mail e telefone. A Hotlink trabalha com o Veloz (não confundir com Velox, da Telemar) cuja mensalidade é de R$ 55. Em ambos os serviços, a linha telefônica fica desocupada. A Nlink garante que a velocidade de conexão é estável, enquanto a Hotlink explica que o canal de acesso é dividido entre os condôminos, gerando uma variação de acordo com a quantidade de pessoas online no mesmo prédio.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Foi o co que botou p nis bb WhiskeyGoGo whiskeyagogo
  • Ainda no foi desta vez mas est na lista de

arquivão