AMD quer Web para 50% da população

Paulo Rebêlo *
Folha de Pernambuco, email

SÃO PAULO — Conhecida por ter mudado vários paradigmas no mercado de tecnologia, com processadores rápidos e mais baratos do que a concorrência, a AMD agora concentra atenções na inclusão digital em
países menos desenvolvidos. A iniciativa foi batizada de 50×15, um acrônimo para expressar a idéia de conectar 50% da população mundial até o ano de 2015. Projeto ambicioso quando se observa os atuais índices de continentes como África, América do Sul e Ásia.

Os conceitos do 50×15 tem rodado o mundo e agora chegam ao Brasil, durante visita do presidente e diretor-executivo da AMD, Hector Ruiz. Ele apresenta a proposta de inclusão digital nos chamados “mercados emergentes”, mostrando como a computação pode mudar a vida das pessoas, social e culturalmente. “A tecnologia só é poderosa se for acessível. Isso acarreta em ganhos de educação, informação e um
senso de comunidade que podem ajudar no combate à AIDS, desnutrição, ignorância e até negligência”, enfatiza.

Um dos pilares da AMD, na estratégia de inclusão digital, é o chamado PIC – Personal Internet Communicator. É uma espécie de caixa, um computador de tamanho bastante reduzido com conexão à Internet. Ligado a um monitor, funciona como se fosse um computador padrão, com sistema operacional Windows. O PIC tem sido anunciado pela AMD desde o ano passado e estava previsto para chegar ao Brasil no início deste ano, mas até agora a empresa não sabe confirmar quando começará a ser comercializado.

Além do acesso à Internet via linha discada ou banda larga, a “caixa” esverdeada da AMD oferece pacotes de escritório (Word, Excel…), e-mail, visualização de imagens e arquivos multimídia. O computadorcaixote
é lacrado, opera sem “cooler” (sistema de ventilação) e tem limitações no gerenciamento de arquivos. O usuário não corre o risco de apagar alguma coisa interna do sistema, por exemplo. Sem monitor, o preço sugerido nos Estados Unidos é de US$ 185 (cerca de R$ 503). Para o Brasil, ainda não há detalhes sobre preços e disponibilidade.

De acordo com Ruiz, a AMD está tentando desenvolver um trabalho em parceria com fabricantes e provedores de serviço, de modo a oferecer o PIC às famílias brasileiras em sistema de crédito ou financiamento, para desonerar o custo final. O PIC é uma parceria da AMD com a Microsoft, que embutiu o Windows.Samsung, Macromedia e Seagate também participam da iniciativa.

* o jornalista viajou a convite da AMD.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Protena e lpulo no mesmo enquadramento desta sexta
  • Deu praia

arquivão