Windows Server 2003 está quase pronto

Paulo Rebêlo | fevereiro.2003

Tudo pronto para o lançamento do Windows Server, a versão servidor do XP. Em estágio de pós-beta, o produto final deve ficar disponível para fabricantes já no final deste mês ou início de março, a fim de que elas possam se adaptar ao sistema. O bicho promete. O objetivo primário do WinServer é suprir a demanda atual das empresas, que ainda precisam recorrer à versão servidor do Windows 2000, visto que o XP têm edições apenas para usuários domésticos (Home Edition) e avançados (Professional).

Mesmo assim, sabe-se que esta versão servidor irá agradar, e muito, usuários convencionais. Explica-se: hoje, mesmo que você instale o pacote de correções para XP (service pack), basta entrar no Windows Update e perceber que ainda há dezenas de correções para baixar. Não obstante a robustez e segurança do XP, os furos continuam lá, vivinhos da silva. Com o WinServer, todas essas falhas já estão plenamente corrigidas e novas medidas de segurança implementadas. Evidente que, em pouco tempo, outros furos irão aparecer também. É o ciclo Microsoft.

Bill Veghte, vice-presidente corporativo da divisão do Windows Server da Microsoft, garante que “a prioridade do projeto foi a segurança.” Ele acrescenta ainda que “as novas funcionalidades simplificam a criação de infra-estruturas mais seguras.” No caso, Veghte se refere ao grande e polêmico trunfo que atende pelo nome de Trustworth Computing. A tal computação confiável encabeçada pela Microsoft e outras empresas de tecnologia é, de fato, eficaz. No entanto, ao mesmo tempo é tida por muitos técnicos e analistas como intrusiva, ferindo o direito à privacidade das pessoas. Pela computação confiável, o Windows pode impedir o usuário de instalar um programa não-licenciado (pirata) ou fazer cópia de uma MP3 protegida por direitos autorais, por exemplo. Segundo Chris Chirstiansen, analista do mercado de tecnologia da IDC, “a Microsoft está fazendo grandes progressos em cumprir seu compromisso de proporcionar uma computação segura.”

O Internet Information Services (IIS) 6.0 foi redesenhado para permitir que processos de trabalho rodando aplicações ou serviços de internet possam ser executados sob as contas de um usuário com baixo nível de privilégio, o que reduz a ameaça de ataques hacker pelo acesso restrito à rede. O mecanismo de software do Common Language Runtime (CLR) agora tem menos bugs (garantia MS), pois foi todo reprogramado. Ao ser instalado, o WinServer fica travado e mais de 20 serviços ficam desligados ou operando com baixos níveis de privilégios. Para destravar, só mesmo o administrador de redes/TI, que pode optar pelas configurações mais seguras para cada ambiente. O IIS, por exemplo, se encontra inativo na instalação padrão.

Os serviços de PKI: Public Key Infrastructure (Infra-estrutura de Chave Pública) foram aperfeiçoados para oferecer certificação simplificada, tanto em redes públicas virtuais (VPNs, hoje em dia muito comum no Brasil) baseadas no padrão IPSCC, como também em redes de comunicação, na autenticação de dispositivos sem fio (wireless) que utilizem o padrão 802.1x, no acesso aos cartões inteligentes (smartcards), em sistemas de arquivos criptografados (o NTFS do XP, por exemplo), entre outros serviços.

Ainda há um recurso para oferecer autenticação criptografada, com base em senhas, em conexões entre equipamentos wireless. É uma alternativa flexível para empresas e usuários que precisem fazer uso de periféricos sem fio.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram