A lenda da alma gêmea

Paulo Rebêlo // outubro.2002

Pegar a estrada, de norte a sul do País, conhecendo lugares, visitando pontos históricos e conversando com as mais diferentes pessoas – é a maior prova de que é preciso ter muita, mas muita fé para acreditar naquela fábula de “alma gêmea”. Para quem jura de pé junto que já encontrou a sua, não há motivos para pânico. A Xuxa não acredita em duendes? Então. Fé é um negócio que existe mesmo. Segura e confia.

Para os agnósticos, a conta é simples. Vejamos:

– De acordo com o IBGE, o Brasil possui pouco mais de 5000 municípios registrados.

– O último Censo (2000) contabiliza 170 milhões de pessoas.

– Logo, para cada município há cerca de 34.000 pessoas.

– Fuzilando os homens, sobram 17.000 brotos.

– Jogando na câmara de gás outra metade (as barangas), restam 8.500 brotos.

– O ano tem 365 dias. Partindo da premissa milagrosa de que você possa conhecer (e certificar) um broto por dia, significa que você levaria 23,2 anos para conhecer todos os brotos da sua cidade.

Agora, as hipóteses menos científicas:
– Imagine que você more em alguma capital brasileira, dessas com mais de 1 milhão de brotos. É, meu filho… procura que você acha sua alma gêmea rapidinho.

– Conhecer (e certificar) um broto por dia é uma tarefa árdua até mesmo para um garanhão italiano.
– O que acontece se você for um cidadão ranzinza e extremamente enrolado com as mulheres, mais ou menos como este signatário?

Resposta: multiplique os 23,2 anos por dez e eleve ao cubo. O que passar fica para o santo.

Para aquelas pessoas acostumadas na vidinha cotidiana de casa-trabalho-farra-casa, conhecer o que o interiorzão desbravado deste Brasil varonil nos reserva é, no mínimo, um pré-assassinato a qualquer conjectura de que você já achou a sua alma gêmea ou, até mesmo, a sua mulher ideal. Mas, no dia que achar, tudo isso vira besteira. O Ambrósio, em sua também vã filosofia, costuma dizer que o broto ideal existe de verdade:

— Ela está sempre onde você não está; ela mora sempre onde você nunca pensa em morar; ela vai para os lugares onde você não costuma ir; e ela sempre conhece (e eventualmente casa) com os caras mais almas sebosas que você poderia sequer imaginar em conhecer.

1 comments On A lenda da alma gêmea

Comments are closed.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Brilhando uma estrela vermelha para iluminar esta noite cinza HeinekenLight
  • Minhas pokernights no cabem numa dose Tentarei a garrafa

arquivão