Windows XP beta 2

Compartilhar

Paulo Rebêlo | março.2001

A qualquer momento a Microsoft pode liberar ao público o beta 2 do Windows XP, próxima versão do sistema operacional da empresa. O XP, sigla de “eXPerienced”, é a fusão do Windows 98/ME, Windows 2000 e NT. Ao chegar às lojas, o consumidor poderá escolher entre a versão Personal, voltada ao usuário doméstico que hoje usa Windows 98 ou ME; a versão Professional, para pequenas empresas e escritórios, além de usuários mais experientes; e as versões Server e Advanced Server, para servidores, estações de comércio eletrônico e similares.


Previsto para estar disponível a qualquer pessoa a partir do dia 14 de março, o beta 2 representa praticamente o que será a edição final do produto. Os interessados podem obter informações a partir do site oficial da Microsoft e requisitar o CD de testes, mediante pagamento.

O XP atua com um visual intermediário entre o Windows ME, Windows 2000 e MSN Explorer – navegador alternativo da Microsoft. O diferencial, porém, é que agora todos os ícones estão em padrão de cores 24-bit, o que proporciona uma qualidade superior. O XP também usa uma interface de trabalho completamente nova. O menu “Iniciar” funciona de forma diferente, assim como as janelas. Entretanto, caso o usuário deseje manter o ambiente padrão, é possível reverter o visual. Destaque para a diagramação das janelas, que em muito se parecem com o Macintosh.

Como tudo tem um preço, o visual futurista e a integração entre aplicativos e Internet, ao menos durante os testes do beta 2, consomem muita memória e recursos do computador. É quase inviável instalar o XP com processador inferior a 300Mhz e menos do que 64 MB de RAM. O ideal é, no mínimo, 400 Mhz e 128 MB de RAM. Entre os aplicativos inclusos, consta o Internet Explorer 6.0 – atualmente em versão beta – seguido de Outlook Express 6.0, Windows Media Player 8.0, além de versões revisadas dos tradicionais utilitários do sistema.

Certos recursos avançados do Windows XP podem agradar algumas facções de usuários e desagradar outras. Dotado de modelo de assinatura, passo inicial à iniciativa .NET da Microsoft, o XP precisa ser registrado e ativado via Internet. Do contrário, não funciona. Ainda não é certo, mas possivelmente haverá edições variadas de uma mesma versão do XP, isto é, edições completas e edições “assináveis”. A iniciativa .NET tem como objetivo oferecer software e aplicações baseadas em Web, de forma a cobrar apenas por aquilo que o usuário realmente use. O Office XP, que começará a ser vendido no início de junho, também contará com recursos de assinatura e edições diferenciadas.

A segurança é outro avanço no XP. Com toda a polêmica ao redor do Napster e da legalidade de distribuir música digital pela Internet, o novo Windows conta com funcionalidades para proteger arquivos multimídia. Provedores de conteúdo poderão incorporar funções inteligentes aos arquivos de áudio e vídeo. Logo, será preciso haver uma autenticação por parte do sistema operacional e do próprio computador do usuário antes de começar a reproduzir o conteúdo do arquivo.

De acordo com a Microsoft, a empresa investe US$ 1 bilhão no desenvolvimento do Windows XP. A versão voltada aos usuários domésticos chega ao comércio no segundo semestre.