Contagem regressiva para o Windows XP

Paulo Rebêlo | agosto.2001

Semana passada, a versão final do Windows XP começou a ser distribuída, em português, às fabricantes brasileiras. O lançamento do novo sistema operacional da Microsoft será no dia 25 de outubro, porém, nos Estados Unidos já é possível comprar um computador com o XP pré-instalado. Por aqui, a qualquer momento poderá se fazer o mesmo, adquirindo máquinas com a grife Acer, Compaq, Dell, HP, IBM, Itautec, Metron, Microtec, Novadata, Positivo, Semp Toshiba e Unisys. Todas elas participam do programa “Windows XP Ready” no Brasil, com permissão para vender PCs otimizados para o sistema.


O Windows XP chega em duas versões: Home Edition e Professional. A primeira é direcionada ao usuário tipicamente leigo/doméstico; a edição Professional é quase idêntica à Home Edition, mas com alguns recursos adicionais para usuários mais experientes ou estações de rede. O XP concentra as funções do Windows 98/ME/NT/2000 em uma única plataforma, baseada na arquitetura do Windows 2000, de onde herdou a estabilidade e o bom gerenciamento de aplicativos. Logo, tende a ser o mais bem aceito sistema da Microsoft justamente por ter condições de agradar, ao mesmo tempo, os usuários domésticos e os mais experientes.

Em comum entre ambas as versões, estão: nova interface (visual) futurista; comunicador integrado Windows Messenger, que na verdade é um MSN Messenger turbinado; melhor desempenho multitarefa; firewall embutido, para se proteger de ataques via internet; controles de acesso diferenciados etc. Sem contar as atualizações de software, como Internet Explorer 6.0, Outlook Express 6.0 e o Windows Media Player 8.0. Exclusivos da versão Professional, encontram-se: possibilidade de criptografar arquivos e pastas; realizar manutenção remota – à distância, você pode “conectar-se” a seu computador pela internet e trabalhar nele como se fosse um site ou uma estação de trabalho; suporte a dois processadores simultâneos etc.

O Media Player 8 é um dos pontos fortes do XP. O visual é semelhante à versão 7, mas as funcionalidades melhoraram, principalmente para quem gosta de assistir filmes pela internet e converter músicas para formato digital. É possível converter seus CDs para o formato WMA (Windows Media Audio) e, caso você opte por comprar o XP Plus, um pacote com ferramentas adicionais e novos temas visuais, também poderá converter músicas para MP3. Quem tem gravador de CD, pode usar o próprio Media Player para gravar músicas.

Algumas mudanças singelas, porém significativas, foram realizadas na forma como o usuário trabalha com o computador, a chamada interface. O agrupamento de janelas, na barra de tarefas, é uma delas. Se você abrir várias sessões do navegador, por exemplo, pode agrupar todas em uma única barra de tarefa, poupando espaço na tela.

Quem hoje usa Windows 98/ME e acha o computador lento, é bom ficar longe do XP. Quem está satisfeito com a performance, principalmente no caso do Windows 2000, a atualização pode ser saudável. O XP apresenta-se plenamente superior ao Windows 2000 em um computador com características similares. Não é tão leve quanto um Windows 98, mas possui uma estabilidade invejável. A abertura de programas é tão rápida quanto no Windows 98/ME e o gerenciamento de recursos é executado de forma tão sólida quanto no Windows 2000. Para quem gosta de games, a boa notícia é que o XP é bem mais maleável do que o 2000. A performance dos jogos continua a ser melhor em Windows 98/ME, mas não decepciona no XP, desde que você tenha RAM suficiente. Para jogar, a Microsoft classifica o XP como “muito bom”, enquanto o Windows 98/ME ainda é tido como “excelente” pela empresa.

Os requisitos mínimos de sistema são quase os mesmos do Windows 2000, porém, um computador mais potente tende a oferecer uma performance “otimizada” do XP. De acordo com a Microsoft, o mínimo é um processador de 300 MHz, 64 Mb de RAM e 1.5 Gb de HD. O ideal é ter, pelo menos, 500 MHz com 128 Mb de RAM e uns bons 3 Gb livres no HD. Se possível, opte por 256 Mb de RAM.

Alvo de críticas por parte de instituições que defendem a privacidade dos usuários, o Windows XP recentemente também foi questionado por seis Estados americanos que manifestaram preocupação com o possível monopólio do XP. Logo após terminar a instalação do Windows XP, o usuário se depara com um processo novo: ativar o produto pela internet, mesmo que você tenha desembolsado a quantia necessária para adquirir o pacote na loja. Autenticar produtos pela web é a nova política que a Microsoft implantou desde o Office XP e que agora ganha força com o Windows XP. Mesmo ao comprar o Windows, você só pode usá-lo por um período de 14 dias sem autenticação. Durante os 14 dias, irritantes mensagens de alerta aparecem na tela para lembrá-lo de que é preciso autenticar. Após 14 dias, o Windows deixa de funcionar.

BOX

Prós:
– mais estabilidade;
– mais segurança em rede e internet;
– novas opções de configurações pessoais e interface;
– multitarefa otimizado;
– menos problemas de compatibilidade com programas e jogos;
– novos recursos multimídia;

Contras:
– exige muita memória RAM;
– requer cerca de 1.5 Gb de espaço em disco;
– desempenho inferior ao Windows 98/ME para games;
– novo visual é muito pesado, mas pode ser revertido para o “clássico”;
– assistentes (wizards) às vezes atrapalham mais do que ajudam;

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram