Whistler é a fusão de todos os Windows

Paulo Rebêlo | novembro.2000

A Microsoft liberou a primeira versão beta do que virá ser o sistema operacional único da empresa em 2001. Temporariamente chamado de Whistler (codinome), o novo Windows será a fusão do Windows 98/Millennium com o Windows NT/2000, atendendo as necessidades dos usuários domésticos e corporativos. O maior trunfo do Whistler é a estabilidade e a segurança. Não é para menos. O Whistler está sendo feito sob a arquitetura do Windows 2000 – uma prova clara de que o atual código do Windows 98 e Millennium foi abandonado por completo. A partir de agora, usuários finais e empresas passarão a usar um sistema operacional sólido e consistente – a exemplo do Windows 2000.


Diferentemente do que costuma ser pregado, o Whistler não será a continuação do Windows 2000. Hoje, ocorre de os usuários finais utilizarem o Windows 98 ou Millennium, enquanto que as empresas e os usuários mais experientes ficam com o NT/2000. Daqui para frente, todos os Windows serão reunidos em um só – o Whistler – com versões diferenciadas para segmentos específicos.

A versão Personal do Whistler é quase uma atualização ao atual Windows Millennium. Uma solução objetiva e direta ao usuário final, mas com a estabilidade e a segurança do Windows 2000. O Whistler Professional é similar ao Personal, com algumas poucas diferenças em funcionalidade – por exemplo, suporte a dois processadores simultâneos e recursos voltados às corporações e acesso remoto.

A versão Server é a parte servidor do Whistler e a versão Advanced Server atende as empresas que trabalham com comércio eletrônico, bases de dados avançadas e transações pela Web. Nada diferente do que ocorre hoje com o Windows 2000 Server e Advanced Server, respectivamente.

64-BIT E NOVA INTERFACE – Um dos grandes diferenciais do Whistler é o suporte à nova geração de processadores 64-bit, como é o caso do Itanium, da Intel. Com exceção da versão Personal, todas as outras versões serão comercializadas em 32-bit e 64-bit, à escolha do consumidor. [whistler-logo2.jpg]

A fim de manter a compatibilidade com programas antigos, foi adicionado um recurso ao Whistler que permite ao sistema operacional emular uma versão mais antiga do Windows, ou seja, forçar o programa a “pensar” que esteja rodando em Windows 95 ou 98, por exemplo.

O visual (interface) do Whistler é uma das mudanças mais óbvias e aparentes no primeiro beta disponibilizado pela Microsoft. O botão Iniciar foi modificado de forma a facilitar – ou dificultar, na visão de alguns – o gerenciamento de pastas e ícones. Os mais acessados permanecerão em destaque no Iniciar. De uma forma ou de outra, o usuário tem a opção de reverter a interface e deixar tudo do jeito que era antes.

O gerenciamento – e a criação – de temas visuais também reflete o novo caráter personalizável do Whistler. Na versão beta 1, apenas dois temas estão disponíveis: o clássico e o “Professional”.

TECNOLOGIA – O Whistler também inova em outros segmentos de interesse aos usuários. A Microsoft investiu e continua investindo pesado na tecnologia de reconhecimento de voz e acesso remoto. Até a versão final do produto, espera-se que todo o sistema possa ser manuseado através da voz, sem a necessidade de usar o teclado para abrir e fechar programas, digitar um texto, acessar a internet, etc. – tudo sem a necessidade de qualquer outra ferramenta externa.

Embutido no pacote do Whistler, pela primeira vez há um utilitário para gravar CDR/CDRW. A Microsoft ainda trabalha em uma possibilidade de fornecer, através do Whistler, a tecnologia para transformar seu computador em um receptor da TV digital (DTV).

Na versão Beta 1, pode-se encontrar o Internet Explorer 5.6 – não disponível aos outros usuários – mas a versão final do IE 6.0 é a que virá inclusa no Whistler, quando o mesmo estiver finalizado.

O Whistler está previsto para chegar às lojas entre o fim do primeiro semestre de 2001 e início do segundo. O preço ainda não foi definido pela Microsoft, mas sabe-se que o usuário poderá atualizar seu atual Windows 98, Millennium, NT ou 2000.

Com a concretização do Whistler, a Microsoft voltará todas as suas forças para um outro sistema operacional, atualmente sob o codinome de Blackcomb, que por sua vez será o Windows completamente integrado à iniciativa .NET (lê-se: dotnet) da Microsoft, cuja principal característica é a integração total com a Web.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram