Faça suas próprias MP3

Paulo Rebêlo | 03.março.1999

A sigla “MP3” já faz parte do vocabulário de muitos internautas e usuários em geral. MP3 nada mais é do que a extensão de um arquivo contendo música, com qualidade de CD, para ser ouvida diretamente no seu computador através da placa de som. Nos últimos dois anos, a MP3 revolucionou a Internet, tendo nela o melhor e mais rápido meio de divulgação sobre suas vantagens frente ao CD comum de prateleira. De poucos sites existentes sobre o assunto, hoje os principais sistemas de buscas como Altavista, Lycos, Yahoo, Excite e outros, já contam com milhões de páginas cadastradas sobre o assunto, além de muitos links para baixar sua música predileta ou obter informações sobre aquela banda que você viu em um filme e nunca ficou sabendo qual era.


Que momento mais propício para ouvir suas músicas do que a hora em que você está navegando na Internet, escrevendo uma carta, ou até mesmo trabalhando na frente do computador? Sem dúvida, a música é uma excelente companheira. Talvez por isso que esta tecnologia conseguiu tantos adeptos e se tornou tão popular nos computadores do mundo todo, em tão pouco tempo.

Alie isso à possibilidade de você poder trocar de música com um simples clique de mouse, fazer uma seleção ou coletânea com faixas de diversos cantores e bandas, ouvi-las uma por uma, sem a necessidade de trocar CD’s, mudar de programa ou procurar a caixa na prateleira, e pronto: você agora acaba de ganhar mais um motivo para passar horas navegando a procura de um bom site sobre música e MP3.

Como nem tudo são flores, você também irá encarar algumas desvantagens na hora de ouvir suas músicas. A principal delas é o tamanho – cada minuto de música ocupa 1MB, em média. Geralmente, cada arquivo contém entre 3 a 5 MB, retardando assim, o processo de download via Internet. Por exemplo, um música de 4MB levaria mais ou menos 25 minutos para ser baixada em um modem de 28k (28.800 bps).Mas acalme-se! O melhor ainda está por vir. Você mesmo pode fazer suas MP3’s, no conforto de sua casa, com as dicas que serão dadas mais adiante.

Como pode ser notado, as vantagens da MP3 sobre o CD comum são muitas. Para uma grande parte das pessoas, o CD de áudio convencional já foi cortado da lista de compras, principalmente para aqueles que só escutam música na hora de sentar à frente do computador, não precisando assim, comprar CD’s para ouvir no carro, por exemplo.

Com isso, muitas produtoras já estão formando suas comitivas e tentando fazer o possível para vetar, ou ao menos restringir, o uso e a propagação indiscriminada dos arquivos. As músicas contidas em CD’s de áudio são registradas e seus direitos autorais pertencem a sua respectiva produtora/banda. Logo, fazer MP3’s a partir de CD’s originais para, posteriormente, disponibilizá-las na Internet em um site qualquer, consta em pirataria, o que é ilegal.

O fato é que até agora o efeito está sendo o inverso. Com a infinidade de programas disponíveis na rede sobre MP3, qualquer usuário, por mais leigo que seja, pode copiar as faixas de áudio de um CD e começar a fazer, até mesmo editar, suas próprias músicas. Mas, se você fizer uma MP3 a partir um CD original que seja seu, exclusivamente para ouvir no conforto de sua casa, o ato é totalmente legal e válido, desde que não saia distribuindo por aí.

A divulgação é tão grande, que empresas como a Diamond já fizeram um walkman para MP3, chamando-o de Diamond Rio, onde o usuário transfere os arquivos do computador para o aparelho via cabo específico, podendo ouvir as músicas em formato digital em qualquer lugar que esteja, sem um computador. Enquanto isso, um novo padrão está sendo estudado – o MP4 – e em breve já devem estar aparecendo as novas músicas, com mais qualidade e menos megabytes.

Por outro lado, algumas empresas já chegaram a conclusão de que não adianta nadar contra a maré. Algumas propagam a idéia de criar um mercado fonográfico alternativo, onde o usuário poderia comprar um CD inteiro – fazendo o download em MP3 – através da Internet, e estas viriam criptografadas para não serem pirateadas no futuro. No entanto, ainda trata-se de uma idéia um pouco distante da realidade atual. O que acontece, na verdade, é que a MP3 ajuda a divulgar o nome do artista, principalmente os mal conhecidos do público em determinadas regiões.

Muitas bandas adotaram estratégia similar: passaram a hospedar sites na rede disponibilizando músicas de seu repertório, com o intuito de convencer o ouvinte ir à loja mais próxima e comprar um CD original. Não deixa de ser uma boa alternativa, mas ainda é pouco para amenizar a demanda dos usuários por músicas “gratuitas” na Internet. Até porque a maior fonte de reclamações dos clientes são os preços dos CD’s, principalmente os importados.

Faça você mesmo —
Hoje, fazer sua própria MP3 é um trabalho relativamente fácil. Podemos dividir o processo em dois passos. A “extração” e a “conversão”. Com um programa específico, as faixas do CD de áudio são copiadas e levadas para seu computador em padrão binário, no formato .wav, ou simplesmente, wave. Cada minuto de música em wave eqüivale a 12MB de espaço em disco, em média. Ou seja, neste processo você irá precisar de muito espaço, onde cada música irá ocupar, mais ou menos, 50MB. Para extrair todas as faixas de um CD, pelo menos uns 400MB são necessários, a depender da quantidade de músicas no CD. Quando não se tem todo este espaço disponível, o usuário pode optar por fazer uma a uma, apesar de ser bem mais trabalhoso.

A maioria dos programas de ripping (extração) já são configurados para a qualidade de CD. Mas, por via das dúvidas, vale lembrar que a MP3 deve ser feita em stéreo, 44Khz e bitrate em 128kbps. Estes valores podem ser mudados pelo usuário. Diminuindo a frequência, o bitrate ou o stéreo, a música tende a diminuir de tamanho, ocupando menos espaço e perdendo qualidade.

Depois que você estiver com as músicas no seu computador em formato wave, será necessário converter a mesma para MP3, através de outro programa específico. O processo de conversão é rápido, levando alguns minutos apenas e, após feito, pode-se apagar a wave de origem.

Finalmente, para escutar sua música, deve ser usado um programa certo para tal, que irá simular um CD-Player convencional, com todas as funções e mais algumas novidades, como a criação de listas, seleção de músicas, coletânea e outras.

Software–
Tanto para Windows como para DOS, eles estão espalhados não apenas em sites que tratam de MP3, mas também em famosos centros e bibliotecas de arquivos, como a Tucows, Slaughterhouse, Winfiles e a Filez.
Para retirar faixas de CD’s, se destacam o CD-Copy, o CDDA para DOS, Easy CDDA para Windows, o Audiograbber, o WinDAC, e muitos outros. O mais conhecido, e um dos pioneiros, é o WinDAC.

Para converter em MP3, nem sempre é necessário usar outro software. Alguns, como o MusicMatch Jukebox, fazem o trabalho de extração e conversão ao mesmo tempo, poupando o usuário da necessidade de ter outro programa instalado. No entanto, existem bons conversores na rede, como o MP3 Producer, o MP3 Compressor, o Xing Encoder, Mpeg Encoder, Mpeg Suite, e muitos outros.

Por fim, você vai precisar do programa que reproduz as músicas. Opções não faltam, todas excelentes. Os destaques ficam por conta dos Winamp, Maplay e WinPlay 3. Com esses programas, o usuário dispõe das funções básicas, como o play, pause, stop, next, previous e pode ajustar diversos outros fatores que influenciam na hora da reprodução.

Dicas–
Para ouvir uma MP3 que está no seu disco rígido, o processador trabalha bastante. Em máquinas menos velozes, este processo pode ocasionar alguns “congelamentos” ou, na pior das hipóteses, travar o computador. Para isso, será necessário diminuir a qualidade da música através do software que a reproduz. Isto pode ser feito facilmente nas opções de cada um desses programas, sem alterar a MP3 original, já que a qualidade seria diminuída apenas na hora de reproduzir, e não de gravar. Ouvir a música em mono é uma opção, assim como diminuir a freqüência para 22khz, por exemplo. Enfim, resta ao usuário adaptar o programa aos seus próprios gostos e limitações.

Se você tiver muitas MP3’s em seu disco rígido, com o passar do tempo irá notar que um bom espaço está sendo “perdido”, apesar de ser por uma boa causa. Caso você tenha a sorte de possuir um gravador de CD, nada mais óbvio do que querer passar suas músicas para um CD. No entanto, vale lembrar que MP3 é um arquivo binário, ou seja, só pode ser aberto no computador. Pode-se escutar um CD de MP3 normalmente no Winamp, mas nunca no carro ou no cd-player convencional da sala. Já o inverso, é diferente. O Winamp, por exemplo, em suas versões mais novas, pode abrir arquivos de CD’s convencionais de áudio como se fosse o CD-PLAYER do Windows. Assim, você terá dois programas em um.

Um outro detalhe muito interessante, ainda no Winamp, é a possibilidade de “desconverter” sua MP3. Se, por algum motivo qualquer, um de seus CD’s originais for quebrado mas você tiver as músicas em MP3, é possível inverter o processo e transformá-las novamente em wave. Uma vez de volta ao wave, com o programa certo de gravação de CD’s – e com um CD virgem, obviamente – você poderá re-gravar seu CD original e ouvir no carro ou na sala, já que as músicas irão voltar para seu formato original.

Links–
Boas referências, informações e últimas notícias:
http://www.mp3.com
http://www.mpeg3.org
http://www.layer3.com
http://www.mp3world.com
http://www.mpeg.org

Evite baixar MP3 via Netscape ou Internet Explorer. Opte por programas que possam resumir a transferência, caso sua linha caia. O melhor deles é o Getright, e pode ser encontrado em:
http://www.getright.com

Procure por determinada música nos sistemas de busca específicos para MP3. Alguns dos principais são:
http://mp3.lycos.com/
http://www.mpeg3.com/mp3finder/
http://borg.mpeg3.com

Você também pode achar músicas, ou procurar por infomações de bandas, no seguinte endereço:
http://www.music4free.com

Algumas versões do Netscape apresentaram bugs na hora de fazer o download de MP3. A música era corrompida durante a transferência. Mais um motivo para optar por programas certos na hora do seu download. Além do Getright, procure também pelo Gozilla e o Netvampire.

Site Footer

Sliding Sidebar

Instagram

  • Mais um avio de brinquedo e l vamos ns outra
  • Passeio depois do almoo pelo RecifeAntigo cheiroso e pomposo Curto

arquivão