Feijoada do Vavá

by

Vavá, o irmão que Lula da Silva considera como um pai, está na boca da mídia e do povo por supostamente agir como lobista no Planalto. A melhor definição para o imbróglio Vavá circula na internet, quem souber o autor, por favor avise.

O Lula diz que o Vavá é um lambari, peixe pequeno. O Tarso Genro diz que o Vavá é ingênuo. O advogado do Vavá diz que ele é incapaz. A Polícia Federal diz que pode ter exagerado. Mas ninguém chega para dizer que o Vavá é inocente.

Curioso isso.

Bota água no feijão – Quem deve estar gostando do circo armado é a família do Sr. Edvaldo Alves da Silva, o cidadão que em 1959 criou um dos melhores e mais tradicionais restaurantes de Pernambuco: a Feijoada do Vavá, no bairro do Ipsep, mas que desde 2001 tem uma filial no bairro de Piedade.

De uns anos para cá, surgiram outros. Tem a Picanha do Vavá e até a Pizzaria do Vavá. Durante um tempo, havia (há?) o Vavá Grill Bar. Aparentemente, sem ligação com o pioneiro Feijoada do Vavá.

A Picanha do Vavá fez bastante sucesso. A filial localizada no bairro de Casa Amarela, após diversas denúncias de clientes, foi fechada pela Vigilância Sanitária em 2005 pela terceira vez, conforme mostra o Diário de Pernambuco de 11/jan/2005 (assinante, leia mais).

Fiscais encontraram contaminação no queijo coalho, lingüiça, arroz, coração de galinha e na maionese. O local foi fechado três vezes. Em comum, nenhum dos estabelecimentos serve lambari. Resta saber se são todos ingênuos.